quarta-feira, 16 de abril de 2014

Cirurgia endoscópica para tratar hérnia de disco

http://fisiostudio.files.wordpress.com/2013/05/hernia-de-disco-021.jpg


O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP passa a oferecer um procedimento inédito no SUS (Sistema Único de Saúde), o tratamento de hérnia de disco lombar por cirurgia endoscópica. A técnica é aplicada com anestesia local e possibilita que o paciente tenha alta no mesmo dia.

Segundo o ortopedista Alexandre Fogaça, do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HC, estudos mostram que a cirurgia feita com o auxílio do endoscópio é tão eficaz quanto a tradicional, com a vantagem de ser menos invasiva.

A técnica é aplicada com anestesia local e sedação para permitir monitorar os movimentos do paciente. Após a anestesia, é feita uma pequena incisão e inserida uma cânula por onde passará o endoscópio e os instrumentais apropriados para a retirada do disco lesado.

Cerca de 300.000 pessoas são submetidas por ano a procedimentos cirúrgicos abertos para tratar a hérnia de disco no Brasil. O especialista explica que apesar do alto índice de sucesso nesse tipo de procedimento, as complicações (como infecções) e o tempo prolongado de reabilitação foram fatores cruciais par ao desenvolvimento de novas técnicas minimamente invasivas, como a endoscopia.

O Hospital das Clínicas, maior complexo hospitalar da América Latina, passará a oferecer o novo tratamento de forma regular. Porém, apesar da técnica englobar quase todos os tipos de hérnias de disco, cabe ao médico avaliar, individualmente, se o procedimento é indicado para o paciente.

Do Portal do Governo do Estado

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Acupuntura para Hérnia de Disco

Acupuntura para Hérnia de Disco

A hérnia de disco pode resultar em diferentes dores e inflamações. Embora a acupuntura não possa curar a doença degenerativa do disco que é freqüentemente associada com esta condição, no mínimo, ele pode ajudar com o desconforto e dores associadas, que freqüentemente acompanha a hérnia discal. Hérnia de disco são mais comuns na região lombar, mas também pode acontecer no pescoço.

Causas da hérnia de disco

Os discos em sua coluna estão entre as vértebras e agem como almofadas. São eles que permitem a flexibilidade da coluna e absorvem os choques desses movimentos de flexibilidade. Conforme você envelhece, esses discos começam a se degenerar, em alguns casos pode ocorrer ainda na juventude. Quando essa degeneração ocorre o disco pode pressionar o nervo, causando dor e inflamação.

Medicina Tradicional Chinesa

No ponto de vista da Medicina Tradicional Chinesa, a maioria das doenças possuem tanto um excesso como alguma deficiência, por exemplo a dor e a inflamação causada pela hérnia de disco pode ser considerada uma síndrome de excesso de sangue e Qi estagnado. Qi estagnado refere-se a um bloqueio do Qi, ou energia, que dificulta esse fluxo, e pode ocasionar em uma deficiência no rim. Portanto, geralmente o tratamento consiste em um abordagem para lidar com as duas frentes e com ambos aspectos.

Alívio da dor e inflamação

Os pontos de acupuntura serão orientados para o alívio e redução da dor e da inflamação, esses pontos serão locais, no local específico da dor e em toda a região afetada. Outros pontos podem ser escolhidos com uma certa distância a partir da área localizada, que são conhecidos por serem eficazes para o alívio da dor, como por exemplo o ponto do intestino grosso. Estes pontos são específicos para remover a qi e a estagnação do sangue (inflamação) que irá causar e incentivar o alívio da dor.

Fortalecimento da coluna

Na medicina tradicional chinesa, degeneração dos discos está ligada a deficiência renal. Não se refere apenas ao órgão, mas sim com a energia do rim ou qi. Portanto, o acupunturista provavelmente irá escolher alguns pontos para fortalecer o seu corpo em geral e principalmente a energia do rim. Embora a hérnia de disco (degenerações) não pode ser curada, a acupuntura pode ajudar com o retorno do disco ou da hérnia para seu devido lugar mais rapidamente. E pode ainda ajudar a “retardar” o processo das alterações degenerativas.

Pesquisas

O uso da acupuntura para o alívio da dor tem sido uma das terapias mais pesquisadas. Uma análise de estudos randomizados e controlados por Eric Manheimer, da Universidade de Maryland Center for Integrative Medicine, concluiu que a acupuntura realmente aliviar a dor. No entanto, pesquisas mais extensas ainda estão sendo realizadas.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Saiba como evitar a hérnia de disco cervical


Saiba como evitar a hérnia de disco cervical Flávio Neves/Agencia RBS

A má postura durante a realização de tarefas no dia a dia, ao dirigir, na realização de atividades físicas, permanecer sentado durante extensos períodos na mesma posição, a obesidade e o sedentarismo são fatores que acarretam, em longo prazo, em danos à coluna. Um desses exemplos é a hérnia de disco cervical que também é proveniente do processo degenerativo do disco e das vértebras da coluna por causa do envelhecimento.

No Brasil, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a hérnia de disco atinge 5,4 milhões de brasileiros. Ela é caracterizada pelo processo pelo qual o disco intervertebral (responsável pela estabilidade da coluna e que fica localizado entre duas vértebras situadas na coluna vertebral), sofre uma ruptura na sua parte chamada de anel fibroso que envolve o núcleo pulposo.

- Com isso, provoca a saída do núcleo pulposo por meio de uma fissura no anel fibroso, gerando uma compressão nas raízes cervicais responsáveis pela inervação de membros superiores -descreve o médico neurocirurgião, Dr. Paulo Porto de Melo (formado pela UNIFESP e Colaborador do Departamento de Neurocirurgia da Universidade de Saint Louis (Missouri- EUA).

O médico neurocirurgião explica que os principais sintomas da hérnia cervical são, frequentemente, localizados na região do pescoço.

- Essa dor no pescoço, além de agravar em dificuldades para movimentá-lo de um lado para outro, pode irradiar para o ombro e braços, gerando sensação de formigamento, dormência e, em alguns casos, diminuição da força muscular nos membros superiores -diz o Dr. Porto de Melo.

Como evitá-la

Mudar o estilo de vida é a primeira recomendação a ser seguida por quem pretende evitar problemas oriundos da hérnia discal vertebral.

- Manter uma vida saudável e distante do sedentarismo é essencial. Realizar diariamente atividades físicas com orientação de um profissional ou alongamentos também contribui para o fortalecimento das musculaturas posturais, responsáveis pela estabilidade da coluna - informa o especialista.

Confira outras dicas do Dr. Paulo Porto de Melo para evitar o acometimento de dores provenientes da hérnia de disco cervical:

- Controle o peso corporal para não sobrecarregar a coluna;

- Evite o consumo de álcool e de cigarro, pois as substâncias presentes na composição de ambos provocam uma redução nos vasos que nutrem o disco intervertebral;

- Tenha cautela ao carregar peso. A recomendação é transportar bolsas e mochilas que não ultrapassem mais de 10% do seu peso. Além disso, no caso de sacolas, divida o peso em dois volumes para equilibrar o volume;

- Ao sentar-se para ler, escrever ou trabalhar, mantenha os pés sempre apoiados e escore as costas no encosto da cadeira;

- No caso de mulheres, evite abusar do uso de saltos muito altos, pois provocam uma curvatura da região lombar, motivando uma hiperlordose. Provocando, desta forma, uma fadiga muscular;

- Para lavar ou passar, utilize um banquinho para apoiar um dos pés, o que alivia a tensão lombar;

- Evite realizar trabalho físico muito pesado para não ocasionar lesões na lombar;

- Para dormir, não opte pela posição de bruços, pois ela aumenta a tensão lombar. O indicado é deitar-se de lado e colocar um travesseiro entre as pernas para alinhar a cervical. Para levantar da cama, vire-se na posição lateral e empurre o corpo para cima com a ajuda de um dos braços.

Fonte: Zero Hora

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Falta de informação pode agravar sintomas da hérnia de disco




Cerca de 5,4 milhões de pessoas sofrem de hérnia de disco no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É um problema que transcende a medicina, posto ser responsável pelo absenteísmo no trabalho, além de onerar os cofres da Previdência com benefícios e aposentadorias. Essa parcela da população sofre com a falta de informação sobre a patologia e acaba se submetendo a tratamentos inócuos, alguns até mesmo bizarros.

Para o diagnóstico correto, entretanto, é necessária uma avaliação clínica e radiológica do paciente, definindo sintomas, localização da patologia e fase de degeneração em que ela se encontra. ”As dores típicas têm irradiação imediata para os membros. No caso de hérnia cervical, os sintomas acometem o braço. Quando a doença está na coluna lombossacral, a dor estende-se a uma das pernas ou quadril, seguindo o trajeto dos ramos do nervo ciático, daí o nome “ciática” ou ciatalgia. Pode ainda haver formigamento e dificuldade para certos movimentos como a extensão do pé”, explica o neurocirurgião Ronald Cabral de Mendonça, lembrando que para se fazer o diagnóstico correto, leva-se em conta o padrão das dores.

Dependendo da raiz nervosa comprimida pela hérnia, a dor é irradiada para uma área específica do membro, o que facilita a identificação do nível da lesão. Contraturas e deformidades posturais são comuns. A confirmação da doença é dada pelo exame neurológico e pelas imagens fornecidas pela tomografia computadorizada ou a ressonância magnética.

Conforme destaca o neurocirurgião Ronald Cabral de Mendonça, a cura definitiva da doença somente ocorre com a extirpação da lesão via intervenção cirúrgica. Não obstante, como destaca o especialista, apenas 5% a 10% dos casos tem indicação cirúrgica, como o verificado na Santa Casa de Maceió, que realizou nos últimos seis anos mais de 500 cirurgias de coluna vertebral, 70% das quais por hérnia ou artrose. A maioria absoluta pela equipe de neurocirurgia.

“A intervenção cirúrgica é recomendada em pacientes que apresentem déficit motor ou que sofram crises dolorosas frequentes. Na imensa maioria dos casos, o paciente convive com a hérnia de disco, eliminando ou minimizando os sintomas de dor por meio de medicamentos e procedimentos não invasivos”, acentuou.

Tratamento

Se não houver indicação cirúrgica, o paciente poderá ser submetido a tratamento clínico-fisioterápico visando o fortalecimento muscular do abdômen e da coluna, o que pode adiar ou até mesmo evitar a cirurgia. Na fase aguda privilegiam-se repouso e analgésicos. Reserva-se a fisioterapia para uma etapa seguinte quando as dores estão sob controle.

Na maioria dos casos, a convivência com a hérnia de disco exige que o paciente realize alongamentos e exercícios de fortalecimento muscular por toda a vida. Técnicas como Pilates, RPG e hidroginástica têm papel fundamental nesse contexto.

“Não esquecer que excesso de peso corporal sobrecarrega os discos intervertebrais, particularmente os já doentes”, fez questão de lembrar o neurocirurgião Ronald Cabral de Mendonça. Outras alternativas incluem infiltrações locais de soluções anestésicas, que conseguem diminuir de forma transitória as contraturas musculares.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Diagnóstico em Hernia Discal Torácica


O diagnóstico começa com uma história completa e exame físico. O examinador fará perguntas sobre os sintomas do examinado e como o problema está afetando suas atividades diárias. Estes incluem perguntas sobre onde o examinando sente dor, se tem dormência ou fraqueza nos braços ou pernas, e, se está tendo problemas com intestino ou função da bexiga.

O examinador vai perguntar sobre quais são as posições ou atividades que pioram ou melhoram os sintomas. Em seguida, o examinador testa os movimentos que provocam dor ou outros sintomas. Pesquisa a sensibilidade da pele, a força muscular e os reflexos também são testados.

Embora o diagnóstico por imagem de certeza deva ser feito através de ressonância magnética ou tomomielografia, as radiografias podem fornecer indicações de sua presença, pois em 10% dos casos de hérnia discal torácica foi observada doença de Scheuermann e em 42% dos casos calcificação do disco em trabalho publicado em 1988 por Bohlman; Zdebick.
Os raios-X mostram os ossos. Eles normalmente não mostram os discos, a não ser que um ou mais discos estejam calcificados. Isto é significativo para o diagnóstico de hérnia de disco torácica. Um disco calcificado que aparece aos raios-X pode migrar para dentro do canal espinhal, e, isso é um sinal bastante confiável, de que há uma hérnia de disco. Não está claro porque um disco torácico herniado, às vezes se calcifica, embora uma lesão antiga no disco seja uma possibilidade.

A melhor maneira de diagnosticar uma hérnia de disco torácica é através da ressonância magnética (MRI). O aparelho de ressonância magnética utiliza ondas magnéticas em vez de raios-X para mostrar os tecidos moles do corpo. A MRI fornece uma imagem clara dos discos e se existe uma hérnia. A máquina de ressonância magnética cria imagens que parecem fatias da área de interêsse diagnóstico.

Pode-se solicitar ao radiologista que faça um efeito mielográfico na ressonância magnética o que produz uma visualização precisa das alterações anatômicas dentro do canal veretebral.

Este exame de imagem mostra que muitas pessoas assintomáticas tem hérnia de disco torácica (isso é um achado radiológico. Muitos médicos dizem que essa hérnia torácica é assintomática, e, por isso, é chamada de hérnia inocente).

Antes da ressonância magnética, os examinadores contavam só com a mielografia para diagnosticar as hérnias discais torácicas. A mielografia só ajuda a diagnosticar esta condição em cerca de metade dos casos.

Mielografia é um tipo de exame de raios-X. Um contraste especial é injetado no espaço em volta do canal espinal. O contraste mostra-se em um raio-X. A mielografia ajuda o examinador ver se o disco herniado está sendo empurrado para dentro do canal espinhal.

A tomografia computadorizada (TC) pode ser solicitada. Este exame é um detalhado raio-X que permite aos examinadores verem o tecido do corpo em imagens que parecem fatias. As imagens fornecem mais informações sobre os discos calcificados.

Os examinadores podem combinar a tomografia computadorizada com mielografia – tomomielografia. Quando a TC é realizada, o contraste da mielografia destaca a medula espinhal e os nervos. Os médicos dependem principalmente da imagem de ressonância magnética para o diagnóstico de hérnia discal torácica. No entanto, eles podem usar mielografia e tomografia computadorizada – tomomielografia, ao se prepararem para fazer uma cirurgia de retirada de uma hérnia discal torácica.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...