Alongamento mais seguros para lesões de disco vertebral de L5-S1

http://1.bp.blogspot.com/-0t1wJrT9Wro/UHv-nnjfijI/AAAAAAAAAZI/wIdtvNB1N5A/s1600/DSC_0074.JPG

A coluna vertebral consiste de um complexo conjunto de nervos, vértebras e discos. Os discos são estruturas macias e circulares que ficam entre os ossos da coluna, eles promovem amortecimento e permitem a movimentação. Lesões nos discos em que a porção interna desses se projeta para fora são conhecidas como hérnias de disco. Essa lesões são mais comuns na coluna lombar, com 90% ocorrendo nos níveis de L4-L5 e L5-S1. Geralmente, os músculos da região lombar e nádegas tornam-se enrijecidos em resposta à herniação do disco. Isso pode ser aliviado por exercícios de alongamento para a região lombar, nádegas e posterior da coxa.

Alongamento da região posterior da coxa

Os músculos da região posterior da coxa são geralmente associados a dor na região lombar, pois eles contraem a coluna lombar e provocam desconforto. Esse exercício melhora a flexibilidade da coxa e reduz o estresse imposto sobre a coluna lombar. Para fazer esse exercício, sente no chão e estique sua perna direita. Dobre sua perna esquerda e coloque a sola do pé esquerdo na coxa direita. Estique seus braços para a frente do corpo e leve-os lentamente até o seu pé direito. Você sentirá o alongamento na região posterior da coxa. Mantenha essa posição por 30 segundos e repita três vezes. Repita esse exercício na sua perna esquerda.

Alongamento do piriforme

O músculo piriforme está localizado no interior da região da nádegas. Hérnias de disco lombares algumas vezes causam o enrijecimento dessa região, o que pode levar a irritação do nervo ciático. O alongamento do piriforme é benéfico para alongar esse músculo e aliviar os sintomas de compressão do nervo. Para realizar esse exercício, deite sobre suas costas e dobre ambos os joelhos. Coloque o seu pé direito sobre a coxa esquerda, logo acima do joelho. Abrace a sua coxa esquerda e então leve-a em direção ao peito. Você irá sentir o alongamento da nádega esquerda e quadril. Segure essa posição por 30 segundos e faça três repetições. Repita esse exercício na perna oposta.

Alongamento do joelho ao peito

Esse exercício alonga os músculos da coluna lombar e melhora a flexibilidade da coluna. Para realizar esse exercício, deite sobre as suas costa. Dobre ambos os joelhos e leve-os lentamente até o peito. Abrace ambas as pernas e segure essa posição por 30 segundos. Repita três vezes.

Extensões lombares

Extensões lombares são também bons exercícios para alongar os músculos da região lombar. Para realizar esse exercício, deite sobre a barriga. Dobre ambos os cotovelos e os apoie no chão. Seu tronco inteiro deve ser levantado do chão. Você irá notar o alongamento da região lombar quando executar corretamente o exercício. Segure essa posição por cinco segundos e então lentamente volte à posição normal em 30 segundos. Repita 10 vezes. Se você conseguir fazer esse exercício sem sentir dor, você pode tentar uma versão mais difícil dele, colocando ambas as mãos no chão, ao invés dos cotovelos. Arqueie sua coluna para trás, mas não permita que a sua pelve levante do chão. Segure essa posição por um segundo e faça 10 repetições.

Fonte

Ótimo blog sobre Fisioterapia


Ola!

Hoje darei uma dica de site que eu gosto muito. A internet virou uma grande fonte de consulta das pessoas para qualquer assunto.


Para as pessoas que procuram por tratamento ligados à Fisioterapia não seria diferente.  E ter uma boa fonte de consulta é importante para a melhor orientação de um tratamento ou até para a busca do melhor profissional. Tem um blog que acho muito bom: o Faça Fisioterapia. Bom e completo porque além da página principal, onde há milhares de posts sobre todos os tipos de assuntos, eles mantém blogs sobre especialidades, terapia manual e um site só para videos.

também o blog de Terapia Manual e o FisioVideos, todos administrados e atualizados pela mesma equipe. 

Fica a dica e use sempre a área de busca do blog. Com certeza você encontrará algo que tem duvida. 

Olha ai as redes sociais deles:

twitterfacebookinstagramgoogleyoutube

Pilates combate os sintomas da hérnia de disco

http://megagymacademia.com.br/wp-content/uploads/2013/12/pilates-beneficios-megagym-0.jpg

Um dos problemas enfrentados pela sociedade moderna é o acometimento de dores nas costas. Normalmente, elas são causadas pela permanência em postura inadequada por longos períodos diariamente. Entretanto, outros fatores são responsáveis pelo surgimento dessas dores chatas como a obesidade, sedentarismo e até mesmo o estresse.

Prática de Pilates fortalece a coluna e previne dores

10 motivos excelentes para fazer Pilates

O Pilates na melhora da tensão em pescoço

O pilates é um aliado de quem sofre com dores na região lombar. Isso porque, o método ajuda a fortalecer a musculatura evitando lesões e ainda atua na prevenção de doenças.

O trabalho com o pilates é realizado através da estabilização da coluna. Sendo assim, o objetivo é aumentar a força dos músculos profundos.

Quando as dores nas costas se agravam podem dar origem à situações mais graves como a hérnia de disco, um problema caracterizado pela ruptura na parte denominada anel fibroso do disco intervertebral.

Diante disso, a hérnia discal pode dar origem à dores intensas que afetam não apenas a coluna.

Sabendo mais sobre a Hérnia de disco

http://www.avidaquer.com.br/wp-content/uploads/2013/06/tudo-sobre-hernia-de-disco.jpg

Carregar bolsas ou mochilas pesadas, postura errada, não se acomodar na cadeira, dirigir muito, ter sobrepeso ou levar uma vida sedentária. Se você se encaixa em uma (ou mais) dessas situações, você provavelmente sofre com dores na coluna, que se não forem tratadas corretamente, podem se acentuar e evoluir para doenças mais graves. A coluna vertebral é composta por vértebras, discos intervertebrais, nervos, músculos, medula e ligamentos. É nesse conjunto que acontece a maior parte das disfunções que causam dores nas costas. Entre elas, a hérnia de disco, cujo estágio inicial está presente na coluna de quase 65% da população adulta brasileira.
As vértebras da nossa coluna estão unidas por articulações chamadas de discos intervertebrais, que são constituídos de material fibroso e gelatinoso e desempenham a função semelhante a de um amortecedor, dando mobilidade para locomoção (caminhar), movimentos de impacto (corrida e salto). A hérnia de disco ocorre quando parte do disco, em geral os das vértebras cervical, dorsal ou lombar, escorrega para trás ou para o lado da coluna, comprimindo o nervo, daí a causa das dores. No entanto, essa dor é bem característica, o sintoma clássico é a dor irradiada para os membros inferiores. Primeiro, a dor vem associada à região lombar, depois vai atingindo as pernas, os pés, ocasionando fraqueza muscular e formigamento.

O surgimento de uma hérnia de disco está relacionado às sobrecargas compressivas no disco intervertebral, causadas por uma série de fatores como má postura, desvio da coluna, instabilidade articular da vértebra, sobrepeso, esforço repetitivo e fraqueza muscular. Alguns estudos apontam que pré-disposição genética é um fator significativo para o aparecimento do problema. Em geral, o quadro clínico aparecer entre 25 e 50 anos de idade, mas, às vezes, as manifestações de dor não aparecem logo de início. Essa demora na descoberta do problema pode dificultar o tratamento.

Na maioria das vezes, a hérnia de disco é tratada com medicamentos para reduzir a dor. Outros procedimentos são a fisioterapia postural e manipulativa, hidroterapia e eletrotermoterapia. Porém, casos mais sérios, como quando a dor estar associada a fraqueza de membros, ou a incontinência urinaria, necessitam de cirurgia. Mas, como todo processo cirúrgico, ele provoca chateações e preocupações nos pacientes, por causa dos riscos de lesão neurológica ou de uma infecção.

Tratamento cirurgico na Hernia de Disco Cervical


http://revistavivasaude.uol.com.br/upload/imagens_upload/tratamentos_para_hrnia_de_disco_1.jpg

O principal sintoma da hérnia de disco é a dor que se localiza, em geral, na região em que o disco intervertebral avariado provoca a compressão na raiz do nervo. Quando a cervical é a parte afetada, por exemplo, as dores podem se irradiar para uma dos braços e alterar a sensibilidade da região, causando dormência ou sensação de agulhadas.  A pessoa que vos escreve, quando exagera no trabalho, sente exatamente isso.

O tratamento da hérnia discal cervical, na ausência de compressão medular, é clínico, sendo indicada a intervenção cirúrgica para pacientes que falharam ao tratamento clínico adequado por 2 a 3 meses ou que apresentam dor refratária e/ou disfunção neurológica progressiva. Tem algumas técnicas cirurgicas que podem ajudar pacientes que não consigam melhorar com o tratamento clínico.

A nucleoplastia é uma técnica minimamente invasiva, na qual o disco intervertebral não é removido. Utilizando energia de faixa específica de radiofrequência, foi desenvolvida para ser uma alternativa ao tratamento cirúrgico convencional, na falha do tratamento clínico, para hérnias discais cervicais e lombares contidas e em casos selecionados de degeneração discal lombar (discopatia dolorosa). Por ser tratamento minimamente invasivo, tem por objetivo, por meio da inserção de dispositivo percutâneo no disco intervertebral, a ablação do núcleo pulposo de modo controlado, reduzindo, por conseguinte, a pressão intradiscal. Não se recomenda a nucleoplastia no tratamento de rotina nesses pacientes.

Instrumentação vertebral é um termo genérico utilizado para procedimentos cirúrgicos que implantam parafusos, dispositivos intersomáticos (espaçadores), placas e hastes, para a estabilização da coluna. A instrumentação e fusão são utilizadas para permitir estabilidade à coluna ou corrigir uma deformidade, como no caso de uma doença discal degenerativa que causa instabilidade ou escoliose progressiva, que é causa de deformidade.

A abordagem cirúrgica mais utilizada no tratamento da doença degenerativa discal cervical é a discectomia com ou sem fusão dos dois corpos vertebrais adjacentes. Os objetivos do tratamento cirúrgico podem ser resumidos em: obtenção da descompressão (envolve a remoção do disco intervertebral ou estruturas osteolíticas dos elementos neurais comprimidos), restauração do alinhamento (reparo da altura do espaço discal e altura do forame neural), e estabilidade da coluna cervical (eliminação de movimento).

E tem ainda a artroplastia que propõe preservar o movimento no local da discectomia e descompressão anterior. Movimento este que, em teoria, diminui a doença articular degenerativa aos níveis adjacentes operados.

Uma vez decidido pela cirurgia, o médico avaliará qual o seu quadro clínico, o que está te fazendo ter essas dores para decidir qual é o melhor método. É importante frisar que a cirurgia será paliativo. Se a sua hérnia foi causada por hábitos posturais ruins, se você não mudar esses hábitos, será uma questã de tempo para as dores voltar, infelizmente.

Eu, com a minha hérnia cervical, melhorei muito com a mudança de hábitos. Não passo mais 50 minutos sem levantar da minha cadeira de trabalho, inclui atividade física diária na minha vida e mudei algumas coisas na minha rotina, como ver tv virada para o lado esquerdo.  Quando exagero, o braço esquerdo perde a fora, há formigamento e um cansaço maior.  A minha relação com a hérnia é de paciência. Quando ela "apita", eu não vou além. E há 7 anos convivo com ela muito bem.

Tomei como base esse texto