Endoscopia terapêutica e a Hérnia de Disco



Grande parte da população já teve o desprazer de sentir dores nas costas pelos mais variados motivos. Estima-se que 80% das pessoas terão essa dor em algum momento da vida. Apenas uma pequena porcentagem, no entanto, diz respeito a algo realmente grave, que precisará de investigação mais aprofundada

A hérnia de disco representa 90% dos problemas ligados à coluna. Caracterizada como dor recorrente na região lombar, a hérnia discal, como também é chamada, tem mais de 2 milhões de registros por ano somente no Brasil.

A doença é definida como o deslocamento do núcleo gelatinoso de um disco vertebral por uma pequena abertura no invólucro exterior mais rígido. Em alguns casos, a patologia pode ser assintomática, isto é, não apresentar sintomas, o que costuma dificultar o diagnóstico. Em outros, as terminações nervosas próximas ao nervo podem ser comprimidas e ocasionar dores, dormência na região ou até mesmo fraqueza nos braços e nas pernas.

Uma das formas de prevenir o desgaste do disco da coluna é praticar atividades físicas de maneira regular, preferencialmente as que não são de alto impacto. Manter o peso adequado, prestar atenção na postura e evitar esforços radicais também são dicas de prevenção. Para quem tem o problema, uma das técnicas de cirurgia para a coluna elogiada por especialistas da área é a endoscopia terapêutica, que possibilita internação e recuperação mais rápidas e menos dolorosas.

A endoscopia terapêutica não deve ser feita em todos os tipos de hérnia, conforme esclarece Alexandre Fogaça: "A recomendação irá depender muito do nível da hérnia e da localização do disco em si. Por exemplo, se o disco estiver muito desgastado e o fragmento dele tiver migrado para localizações muito internas, a endoscopia é contraindicada".

Material: Coletânea Pilates Clínico



Você conhece os exercícios certos para tratar casos clínicos com Pilates?  Tenha em mãos conhecimentos específicos para casos clínicos complexos.

O que você ganha com a Coletânea Digital de Pilates Clínico?
  • Capacidade de elaborar um planejamento de aulas adequado para cada paciente.
  • Exercícios inéditos e exclusivos para cada tipo de paciente, aumentando seu repertório de exercícios
  • Com as dicas, orientações e cuidados especiais, você vai ficar 100% seguro para aplicar os exercícios certos, nos momentos certos.
  • Terá um aumento no conhecimento teórico e prático.
  • Fotos com as posições iniciais e finais dos exercícios.

Livro 1 - Pilates Aplicado à Gestante

Um guia completo para aplicar Pilates para Gestantes, com segurança.

O que você irá encontrar dentro deste livro?

Mudanças fisiológicas e biomecânicas que acontecem durante a gestação.

Como o Método Pilates é um instrumento excepcional para o bem estar da gestante.

Exercícios demonstrados no Reformer, Cadillac, Step Chair e Ladder Barrel.

Exercícios no solo, com bola e outros acessórios. Para cada trimestre e pós-parto.

Livro Digital com 75 páginas

Autora: Ft. Patrícia Valeriano – CREFITO 77458-F


Livro 2 - Pilates Aplicado à Hérnia de Disco

Tudo o que você precisa saber para aplicar Pilates em alunos com hérnia discal.

O que você irá encontrar dentro deste livro?

Indicações e contra- indicações de movimentos e exercícios para todos os tipos de hérnia.

Vantagens do Método Pilates na prevenção e reabilitação desses pacientes com hérnia de disco.

Tenha todos os conhecimentos para tratar alunos que fizeram cirurgia, cuidados especiais e como reconhecer a dor.

Aplicação prática dos exercícios mais adequados no restabelecimento da qualidade de vida dos alunos com hérnia discal.

Livro Digital com 53 páginas

Autora: Ft. Gabriela Zaparoli – CREFITO 79653-F


Livro 3 - Pilates nas Patologias da Coluna

A referência completa para tratar patologias na coluna com Pilates. O que você irá encontrar dentro deste livro?

Capacitação do profissional de Pilates através de conhecimento científico atualizado.

Exercícios práticos em equipamentos de pilates como: Reformer, Cadillac, Step Chair e Ladder Barrel.

Exercícios práticos no solo, com a bola e outros principais acessórios encontrados nos studios de Pilates.

Exercícios de Pilates indicados para as patologias mais comuns da coluna vertebral, com explicações detalhadas.

Livro Digital com 98 páginas

Autora: Ft. Érika Barroso Batista – CREFITO 167261-F

Você não vai precisar de todos os conhecimentos ao mesmo tempo. Use de acordo com a necessidade.

Leia aos poucos, e use como um guia confiável para encontrar soluções diárias.


Visualizar

Informações sobre o Produto:

Criado por Voll Pilates

Programa: 8 Semanas de Tratamento para dores na Coluna Vertebral



Esse programa para a reabilitação da coluna, com exercícios bem simples, sem acessórios, baseados na fisiologia do próprio corpo. Em poucos dias, a estrutura muscular da coluna retorna, dando a sustentação necessária para que não tenha mais dores.

O que contém esse programa?

- Exercícios sem contra indicações, extremamente testados e muito seguros;
- São somente de dez a quinze minutos por dia de comprometimento e disciplina;
- Foi desenvolvido um material fácil, 100% virtual, com aulas extremamente explicativas, com exercícios progressivos, que você poderá praticar em qualquer lugar;
- Foram mais de dez anos se dedicando muito à reabilitação de coluna e entendendo a essência das patologias;

Esses exercícios servirão de base para você realizar seu esporte favorito, preparando sua coluna e evitando lesões.

O programa defende que para uma vida plena é preciso despertar o seu corpo. Nosso objetivo é manter as pessoas ativas!

Você pode ter acesso imediato a esse programa logo após confirmação do pagamento, em pouco tempo.

Pilates é indicado para casos de desvios posturais

 


Podemos chamar de desvios posturais da coluna, as curvaturas incomuns que surgem na coluna vertebral, causadas por alguma má formação durante a gestação, por processo patológico, traumatismos, obesidade, ou pelo motivo mais comum nos dias de hoje: a má postura.

Os benefícios do método Pilates só depende  da execução dos exercícios com fidelidade aos seus princípios.  A técnica de Pilates se divide em exercícios realizados no solo e em aparelhos. Todos eles favorecem o trabalho dos músculos estabilizadores enquanto que elimina a tensão excessiva dos músculos e compensações de movimentos envolvendo uma larga variedade de movimentos.

A técnica Pilates apresenta muitas variações de exercícios e pode ser realizada por pessoas que buscam alguma atividade física, por indivíduos que apresentam alguma patologia em que a reabilitação é necessária, como desordens neurológicas, dores crônicas, problemas ortopédicos e distúrbios da coluna vertebral

Os exercícios realizados em solo se caracterizam por ser de caráter educativo, ou seja, enfatizam o aprendizado da respiração e do centro de força. Já os exercícios realizados nos aparelhos envolvem uma larga possibilidade de movimentos, todos eles realizados de uma forma rítmica, controlada, associada à respiração e correção postural.

A técnica do Pilates ajuda a evitar lesões na coluna e prevenir doenças. No Pilates conseguimos um treinamento muscular mais específico em aulas personalizadas. Trabalhamos com a estabilização da coluna, que é o fortalecimento dos músculos profundos, responsáveis por manter as vértebras e seus componentes articulares na posição correta. Esses exercícios evitam problemas como: hérnias de disco, espondilólise, protusão discal e desvios posturais (escoliose, cifose e lordose).

O Pilates é indicado em casos de desvios posturais por trabalhar o reequilíbrio muscular sustentando e estabilizando a coluna trazendo a mesma para o seu eixo, fazendo com que ela cresça para cima, ou seja, alongando e fortalecendo a musculatura, assim aliviando dores e desconfortos que a pessoa pode apresentar.

Para o profissional que trabalha com Pilates, é importante estar atento aos desvios posturais. Recomendo esse livro digital, que traz uma abordagem sobre a atuação do Pilates nos Desvios Posturais. Clique aqui e veja!

Tratamento conservador e cirurgico na Hérnia de disco


Repouso é a palavra chave, além dos medicamentos analgésicos e relaxantes musculares, por mais ou menos três semanas. Após esta fase, poderá ser utilizado o tratamento fisioterapeutico que conta com o uso do calor local superficial, como o tens, ultrasom, infra-vermelho e o laser, os quais iram promover o relaxamento muscular e analgesia.

Pode-se também utilizar a massoterapia. Outras formas de tratamento podem ser incluídas como os exercícios de alongamento, reeducação postural global (RPG), exercícios de fortalecimento muscular, propriocepção, podemos ainda associar as técnicas de Mckenzie que tem como objetivo fazer retornar as estruturas do núcleo pulposo do disco e a de suporte a um estado anatômico mais normal. A hidroterapia tem uma relevância devido a ação da gravidade e o impacto sobre as articulações serem reduzidos onde são priorizados os exercícios de extensão passiva, correção do alinhamento postural, fortalecimento dos músculos abdominais e extensores, exercícios de alongamento com o propósito se aumentar a amplitude de movimento.

O tratamento cirúrgico só será indicado aos pacientes com sintomas refratários aos tratamentos já expostos à ele. Dentro do tratamento cirúrgico as técnicas percutâneas automatizadas que aspira através de agulhas o centro do disco e a descompressão local a laser que vaporiza a parte do disco intervertebral. Estas técnicas são realizadas com anestesia local, em caráter ambulatorial e permitem a recuperação pós-operatória em 4 a 7 dias.

Quando há o rompimento completo do disco, a técnica mais indicada é a microdiscectomia videoendoscópica. Esta técnica permite com precisão a retirada da hérnia, pois todos os movimentos são monitorados pelo vídeo. A cirurgia é realizada sobre anestesia peridural, ou seja, o paciente fica acordado anestesiado apenas da cintura para baixo, através de um corte de apenas 2,5mm na pele, utiliza-se um aparelho especial que permite introduzir a microcâmera junto a hérnia discal a ser retirada. Durante todo o ato operatório, o cirurgião e sua equipe acompanham tudo pelo monitor de televisão. O resultado pós-operatório é rápido, a permanência do paciente no hospital se reduz para um período dentre 24 a 48 horas.