Hérnia de disco lombar: diagnóstico e tratamento








A hérnia de disco lombar extrusa é uma condição ortopédica muito freqüente e importante, que afeta os discos intervertebrais da coluna vertebral. Estes funcionam como verdadeiros amortecedores entre as vértebras e a hérnia discal ocorre no momento em que seu anulo fibroso se rompe, permitindo que o conteúdo gelatinoso interno, chamado de núcleo pulposo, extravase por entre as fibras do anel externo e migre para fora.

Isso faz com que haja um comprimento das raízes nervosas que passam pelo espaço intervertebral, causando assim os sintomas clínicos característicos do paciente portador de hérnia discal: dor lombar, normalmente associada à irradiação para os membros inferiores, diminuição de força muscular destes membros e formigamento nas pernas.

No caso da lesão, o paciente deve continuar com sua rotina de exercícios de alongamento e fortalecimento musculares para a região lombar e cadeia muscular posterior, além de tomar os devidos cuidados com o posicionamento de seu corpo para levantar qualquer peso a partir do solo (pés ligeiramente abertos e próximos ao peso, joelhos flexionados, costas retas, e absolutamente não levantar um peso maior do que esta posição permite).

Ingressar num programa de fortalecimento muscular, com ênfase para as regiões lombar e abdominal é uma boa idéia, além de sessões de fisioterapia para a melhora da dor e do condicionamento muscular.

Outra recomendação é alternar a corrida com atividades aeróbicas, como natação ou "deep running", para a manutenção do condicionamento cardiovascular e permitir um descanso para as estruturas músculo-esqueleticas da coluna, que recebem uma carga de peso significativa com a prática da corrida.

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: