Manter o peso adequado e cuidar da postura evita a hérnia de disco

Má postura, excesso de peso, esforço físico exagerado ou realizado de maneira errada, além de fatores genéticos relacionados ao processo de envelhecimento da coluna são fatores que levam ao desenvolvimento da hérnia de disco. Para evitar desenvolver a doença, é necessário manter o peso adequado e cuidar da postura. Os sintomas da hérnia de disco cervical são dor na região cervical, ombros, escápulas, dormência e até paralisia de membros.

Especialista em tratamento de coluna, o neurocirurgião Lúcio César Hott Silva explica que a coluna vertebral é formada por vértebras, separadas entre si pelo disco intervertebral, que funciona como uma almofada e permite sua mobilidade e amortecimento. “Cada disco intervertebral possui uma parte central gelatinosa, chamada de núcleo pulposo. O deslocamento desse núcleo é que provoca a hérnia de disco”, destaca o médico.

Segundo o neurocirurgião, o problema pode atingir as regiões cervical, lombar ou torácica, mas as duas primeiras são mais comuns por serem regiões mais móveis. A hérnia de disco lombar pode causar dor nos locais atingidos e irradiar para as pernas, provocando ainda dormência e redução da força nos membros inferiores, podendo inclusive acometer os pés. É possível ainda que a doença evolua e cause dificuldade de andar, sentar e até de urinar.

0 comentários:

Hérnia de Disco e a Quiropraxia


O disco intervertebral é uma estrutura localizada entre as vértebras e consiste de duas partes: uma parte externa, dura e fibrosa - o anel fibroso - e uma parte central, gelatinosa - o núcleo pulposo.

O disco intervertebral executa muitas funções: separa uma vértebra da outra, atua como um amortecedor de impacto entre os ossos e ainda ajuda a moldar as curvas normais da coluna vertebral. Existem 23 discos em nossa coluna e eles têm relação direta à nossa altura. De fato, pela manhã, após uma noite de sono, somos cerca de 2 cm mais altos que no final do dia anterior. Isto ocorre devido à perda de água normal que ocorre durante o dia e que é recuperada enquanto dormimos.

Disco Intervertebral e as Dores na Coluna

As lesões do disco são uma das causas mais comuns de dores nas costas. Desde a adolescência o disco sofre desidratação permanente, perde progressivamente sua capacidade de absorção de impacto fazendo com que pequenas fendas comecem a se formar nas paredes externas. O núcleo pulposo começa a ficar saliente e empurrar o anel fibroso. Se esta saliência for muito grande, pode pressionar a medula espinhal ou os nervos que saem dela pelos orifícios laterais (forâmes intervertebrais), provocando dor severa durante as mais variadas atividades: sentar, levantar, andar, levantar objetos, urinar, defecar, espirrar, tossir, fazendo com que a movimentação seja quase impossível. Nos casos extremos, podem ocorrer dormência das pernas ou pés, e a perda do controle muscular.

A degeneração do disco também pode interferir com a função dos nervos lombares e sacrais da medula espinhal, ocasionando uma série de problemas na área pélvica: endometriose, infecções (bexigas, vagina, rim), problemas da próstata, abortos espontâneos, esterilidade, impotência sexual, retenção urinária, cistites, cólicas menstruais e constipação. Não é raro que alguém que tenha problemas crônicos nas costas sofra também de um ou mais dos problemas acima mencionados.

A Abordagem Médica X Quiroprática

A abordagem médica para os problemas do disco freqüentemente é uma combinação de analgésicos e antiinflamatórios, relaxantes musculares e fisioterapia. Mas não é incomum a indicação de tratamento cirúrgico mesmo antes de se tentar qualquer abordagem não-invasiva.

Se os tratamentos prescritos fracassam, então a cirurgia passa a ser considerada. Mas, nem sempre os resultados são animadores. Todos nós conhecemos alguém que se submeteu a mais de uma cirurgia ou que foi operado e não resolveu seu problema.

As pesquisas mostram que o tratamento quiroprático é a maneira mais eficaz para auxiliar no tratamento clínico da hérnia de disco, mas mesmo aqueles que se submeteram a uma cirurgia no passado podem ser beneficiados com tratamento quiroprático. Isto significa que nunca é tarde para impedir a necessidade de futuras cirurgias.

0 comentários:

Microcirurgia para hérnia de disco

microcirurgia para hernia de disco

Excesso de peso, sedentarismo, hábito de fumar (enfraquece os ossos e as articulações), fraqueza dos ligamentos e até mesmo fatores genéticos contribuem para a aparecimento da hérnia de disco. Este problema é mais frequente entre a quinta vértebra lombar e a primeira vértebra sacra e pode ser incapacitante quando não tratado.

Mas hoje há casos graves de hérnias de coluna podem ser curados por meio de cirurgias minimamente invasivas segundo informação do médico Eduardo Barreto, coordenador do serviço de neurocirurgia do Quinta D’Or e especialista em coluna vertebral.

Conheça a respostas de algumas dúvidas sobre a hérnia como: O que caracteriza hérnia de disco? É a saída por pressão e/ou compressão do núcleo pulposo, a parte central e gelatinosa do disco intervertebral, que serve para articular uma vértebra à outra. Os discos funcionam como amortecedores.

A hérnia pode ser aguda, causada por um esforço súbito, ou aparecer devido a esforço repetitivo ou hábito de adotar posições viciosas, como sentar de maneira errada ou carregar pesos de forma inadequada.

O problema é mais frequente na coluna lombar que na cervical. Nesse caso, pode ser perigoso, pois a hérnia pode afetar a medula espinhal e todo o conjunto de raízes que formam os plexos nervosos.

Existe forma de prevenir ou evitar a hérnia de disco? Praticar alongamento, dança de salão, ioga e outras atividade aeróbicas de baixo impacto ajuda a prevenir. Outra dica é fazer atividades aquáticas, como hidroginástica, natação e esportes que não causam impacto na coluna.

Estudos genéticos mostram que alguns genes responsáveis por doenças no coluna vertebral, como a escoliose do jovem, e algumas famílias apresentam uma maior incidência de hérnia de disco.

Qual o tratamento de rotina para a hérnia? Usualmente deve-se realizar o tratamento com medicamentos e medidas fisioterápicas para o controle da dor. Antigamente, na crise, preconizava-se o repouso por duas semanas ou mais. Atualmente, recomenda-se o repouso de n máximo de 48 horas e analgésicos potentes, receitados por medico.

O repouso prolongado causa fraqueza muscular, favorece à depressão e traz efeitos colaterais que prejudicam a reabilitação.

Quando se deve operar? A cirurgia é indicada quando houver sinais de compressão de estruturas nervosas, com sintomas de fraqueza muscular, falta de força ou paralisia ou dormências progressivas em membros.

É bom lembrar que nem sempre a dor de coluna significa hérnia de disco. O sintoma pode ter outras origens, como a instabilidade da coluna, fratura de vértebra por osteoporose (perda óssea) ou trauma, ou até mesmo sintomas de tumores na coluna vertebral.

O que existe de moderno para tratar o problema? O tratamento mais moderno para as hérnias de disco são os métodos minimamente invasivos, chamados de discectomias ou a retirada do disco, na verdade, apenas da hérnia. O procedimento é feito com anestesia local. O paciente interna-se de manhã e a tarde já está em casa.

A técnica pode ser aplicada com jato de água (discectomia), raiofrequencia ou por meio de instrumentos especiais. Essas cirurgias indicadas em casos especiais, dependendo de avaliação médica.

A microcirurgia pode ser uma alternativa em casos selecionados. Existem mais opções de tratamento, como a substituição de disco (por disco artificial).

A doença tem cura? O nosso corpo tem a capacidade de produzir substancias que promovem a reabsorção da hérnia em casos iniciais e principalmente das chamadas hérnias extrusas.

Se o paciente responder ao tratamento clínico de quatro a seis semanas, pode ficar curado, desde que se cuide.

3 comentários:

Pilates: tratamento e prevenção de hérnias de disco


A hérnia de disco é uma patologia da coluna vertebral relacionada ao deslocamento da parte interna do disco intervertebral para fora de seu lugar. Mas antes, vamos entender os conceitos. Entre as vértebras temos os discos intervertebrais, cartilagens fibrosas que acompanham o formato das vértebras e tem como função amortecer impactos, amenizar atritos e permitir maior mobilidade entre as vértebras.

Devido à força da gravidade, tensão do dia-a-dia, vícios/desvios posturais, envelhecimento ou tipo de movimento realizado pelo indivíduo, o espaço entre essas vértebras diminui e o disco é pressionado e até desgastado. Quando este desgaste é muito grande pode ocorrer uma ruptura no anel (a parte externa do disco), deslocando o núcleo discal para fora. Geralmente esse fragmento do disco que escapa comprime alguma(s) raíz(es) do nervo ciático, causando dor em uma das pernas. Dores musculares, pela compensação postural, e formigamntos nos braços também pode acontecer.

Em muitos casos de comprometimento intenso da raiz nervosa, é indicado a cirurgia. Em outros, o tratamento da hérnia de disco pode ser através de mdicamentos que reduzem a dor e a inflamação, além de fisioterapia. Entretanto, muitos médicos vem indicando a prática de PILATES como parte do tratamento devido aos excelentes resultados que o método vem proporcionando a este público também.

O PILATES promove a estabilização da hérnia de disco, possibilitando uma vida saudável e sem dor. O método se fundamenta, entre outros, nas forças centrais do corpo – CORE – que inclui o complexo lombar pélvico dos quadris, ou seja, esses grupos musculares centrais vão absorver grande parte do impacto, estabilizando sobretudo as articulações da coluna. Além de restabelecer os espaços intervertebrais através do fortalecimento e alongamento dos grupos musculares, resultando em uma maior proteção dos discos intervertebrais e alinhamento da postura adequada. Desta forma, os sintomas que tanto incomodam tem uma melhora significativa, possibilitando as práticas das atividades da vida diária e profissional de forma satisfatória e segura.

fonte: www.flexuspilates.com

0 comentários:

Imagens de Hérnia Cervical

http://2.bp.blogspot.com/_Jnn5IbVA4-c/TTSMr6S_C9I/AAAAAAAAAkQ/uE8bwH2bZks/s1600/Cervical.jpg

http://www.cirurgiadacoluna.com.br/userfiles/image/fotoscirurgias/artodesecervical.gif

http://www.poderdasmaos.com/site/pub/bancoimg/bancodeimagens/fotos/patologia-6.jpg

http://farm3.static.flickr.com/2478/3554905973_b74b6ddd72.jpg

http://www.scielo.org.ve/img/fbpe/gmc/v112n2/Image230.gif


O diagnóstico da hérnia cervical segue o padrão de diagnóstico das hérnias de disco em geral, com algumas particularidades, naturalmente. O sintoma predominante é a dor, que pode ser leve ou forte, acompanhada ou não de espasmo muscular. Ela aparece no pescoço, ombros e braços. Em geral piora em certas posições e melhora em outras.

Dependendo do grau de compressão que a hérnia produz em uma dada raiz nervosa, a dor pode se extender ao braço, mãos e dedos; pode também adquirir características de cãimbras nesses locais. Em geral ocorre diminuição da força e da sensibilidade, e alteração de reflexos na região comprometida. Os locais dos sintomas e sinais vão indicar qual ou quais discos estão herniados.

A hérnia de disco cervical ocorre com mais frequência em pessoas de idade avançada ou após traumatismo.

0 comentários: