Ortopedista falando de hérnia de disco

Entrevista com Dr. Olavo Letaif, ortopedista especialista em coluna do Instituto Abathon de Medicina e Saúde, em são Paulo, sobre hérnias de disco.

2 comentários:

Evitando a hérnia de disco

Segue uma série de movimentos que não devem ser feitos.

Esses movimentos podem agravar uma hérnia de disco ou causar dores em coluna:














0 comentários:

Hérnia de disco pode causar disfunção sexual

http://2.bp.blogspot.com/_8tS29hVtT-Q/S9r3aQvUz1I/AAAAAAAABu0/hUL_MBe4Xn8/s1600/Figuras.jpg


A relação entre dores nas costas e uma vida sexual sempre foi uma questão pouco discutida. Um estudo, publicado no ano passado no J Neurosurg: Spine, focou a interferência da hérnia de disco na qualidade de vida sexual das pessoas. Os resultados são interessantes.

A pesquisa analisou 43 pessoas com média de idade de 41 anos, entre homens e mulheres, com o objetivo de avaliar as atividades sexuais dos portadores de hérnia de disco antes e depois de passarem por cirurgia.

O resultado mostrou que 55% dos homens e 84% das mulheres disseram ter problemas sexuais após o aparecimento da dor motivada pela hérnia. A disfunção mais citada foi a diminuição do desejo sexual, tanto pelos homens, quanto pelas mulheres. Os integrantes do sexo masculino também se queixaram de ejaculação precoce e disfunção erétil (18%).  

Após o tratamento, a pesquisa apontou que a frequência de relações sexuais no grupo analisado era 78% menor antes da cirurgia, quando comparado ao período em que os pacientes disseram estar sem dor.

Como profissional, posso dizer que o estudo mostra não só a interferência do problema no cotidiano dos indivíduos, mas também a necessidade de atenção e tratamento adequado. A conclusão do trabalho mostra que os pacientes não são analisados em seu contexto geral e suas queixas paralelas ao quadro da dor acabam ficando em segundo plano, quando na verdade são componentes de grande importância. 

Tratamento

Felizmente, esse problema é passível de solução, por meio de tratamento multidisciplinar, com medicamentos, fisioterapia e, em situações mais complicadas, cirurgia. No caso do procedimento cirúrgico, a tendência atual é optar por uma nova técnica minimamente invasiva, baseada na videoeondoscopia, consagrada em países como os Estados Unidos, Ásia e Europa, e vem sendo aplicada com bastante sucesso também no Brasil. 


Um desses novos métodos é baseado em um corte mínimo, de cerca de um centímetro, podendo ser realizado, em alguns casos, com anestesia local. O procedimento é simples, tanto que o paciente pode receber alta geralmente no mesmo dia e sair andando do hospital. O uso de técnicas tradicionais associado à colocação de implantes deve ser analisado com cuidado e utilizado apenas em casos extremos associados a instabilidades intensas.

Fonte: Minha Vida

0 comentários:

Deslocamento da coluna vertebral

Ela atinge 3% da população brasileira, pode ser operada sem a necessidade de internação, mas, se não for tratada adequadamente, é capaz de levar à morte.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aproximadamente 5,4 milhões de pessoas sofrem de hérnia de disco no Brasil. Mas o que realmente é essa doença?

"A palavra hérnia significa deslocamento de algo para fora de seu lugar. Na hérnia de disco, o que ocorre é um deslocamento do núcleo. Isso pode ser comparado ao que acontece quando a capa de uma almofada se rasga e parte da espuma do recheio sai. Geralmente o fragmento de núcleo que escapa de dentro do disco comprime uma das raízes do nervo ciático, provocando dor forte em uma das pernas, o sintoma conhecido como dor ciática", explica o médico Pablo Miguel.

Segundo o especialista, a hérnia é resultado de um desgaste do disco. E esse desgaste está relacionado a vários fatores, como estrutura genética do indivíduo, atividade física, peso e tipo de trabalho. "Não existe hérnia causada apenas por um fator isolado, mesmo nos casos em que a doença se manifesta depois de um acidente ou esforço. Costumam existir outros fatores a que contribuíram anteriormente para o problema", esclarece.

Para Fernanda Motta, 42 anos, não tem coisa pior que sentir a dor ciática. "Eu descobri que tinha hérnia de disco quando meu marido chegou em casa, e eu estava toda torta no chão sem conseguir me levantar. Procurei um médico e foi diagnosticada a doença. O que passou a minha dor foi anestésico cirúrgico", conta.

Com Catarina Fontana, a situação foi diferente. "Sempre achei que hérnia de disco era algo terrível que me obrigaria a viver com uma dor insuportável. Mas nosso corpo se adapta rapidinho ao incômodo e a dor constante, que chega uma hora que você nem percebe mais. Eu não sou fã de remédios e prefiro sempre confiar no meu corpo, mas às vezes é preciso uma ajudinha", afirma.

Ciático é o nome do principal nervo do membro inferior. Esse nervo forma-se da união de várias raízes nervosas que saem da coluna. "Ele começa mais ou menos na altura da nádega e se distribui por todo o membro inferior. A dor provocada por problemas no nervo ou nas raízes nervosas da região lombar, que são as que formam o nervo, é conhecida como dor ciática ou ciatalgia", afirma Miguel.

Tratamento

Na maioria dos casos o tratamento é conservador, não cirúrgico, consistindo de fisioterapia e medicação para a dor e inflamação do nervo, seguidos de programas de exercícios. "A cirurgia é reservada para os casos em que o tratamento conservador não surte o efeito desejado ou em que o nervo está muito lesado", diz o médico.

Hoje em dia existem vários tipos de cirurgia, desde os tratamentos percutâneos, sem cortes e sem hospitalização, até as cirurgias maiores, com fixação da coluna e colocação de implantes metálicos (artrodeses).

Recentemente surgiram as técnicas de artroplastia, em que o disco é reconstruído com próteses que mantém a movimentação normal da coluna. "A indicação do tipo específico de cirurgia dependerá do caso de cada paciente, sendo julgados vários fatores para se tomar essa decisão", explica Miguel.

O procedimento cirúrgico mais comum é a microcirurgia para hérnia discal, em que é feita apenas a retirada da hérnia através de uma pequena incisão nas costas, usando-se o microscópio cirúrgico. "Nos últimos tempos temos substituído o microscópio pela aparelhagem de vídeo, realizando a microcirurgia vídeo-endoscópica, que permite o uso de incisões ainda menores e recuperação pós-operatória mais rápida", afirma o especialista.

Para Fernanda, o pior da cirurgia é o pós-operatório. "Eu sofri muito no início. Até hoje tenho que ter muito cuidado. Não posso fazer exercícios físicos. Mas as dores passaram", comemora.

0 comentários:

Elimine as dores do Ciático


Engana-se quem pensa que as temidas dores no nervo ciático são sintomas de velhice. Há algum tempo, isso era mesmo verdade. Mas hoje em dia cada vez mais jovens sofrem com a dolorida irritação desse nervo. E isso graças, em grande parte, aos maus hábitos rotineiros, como uma postura incorreta e a prática de esportes de maneira inadequada (sem um aquecimento prévio, por exemplo).

“Entre os motivos que levam os jovens a sofrerem com as dores ciáticas estão o hábito de passar muitas horas em uma mesma posição e o sedentarismo generalizado, assim como a sobrecarga física e emocional, que é tão comum hoje em dia”, avalia a fisioterapeuta Fernanda Ferrareze, especialista em acupuntura e em RPG. Segundo ela, a incidência do problema, que antes era maior aos 40 anos, hoje se concentra já por volta das 30 primaveras.

O fisioterapeuta Aya Nawa, especializado em shiatsu, explica que a sensação tão indesejada de dor ciática, apesar de bastante comum e normalmente associada aos maus-hábitos posturais, merece uma análise extremamente cuidadosa, já que pode representar problemas mais sérios. “Muitas vezes, o desconforto é um caso de lombalgia (dor na região lombar), que pode estar acompanhada de inflamação ou outra anormalidade relacionada ao nervo ciático, que passa nessa região”, diz ele.

No entanto, a reclamação pode representar também um caso de hérnia de disco, o que requer o cuidado de um médico tradicional, já que pode ser necessário até mesmo passar por uma cirurgia corretiva.

A sensação da dor ciática pode ser de formigamento na perna, associado a dores que lembram facadas na região lombar. Ela percorre os membros inferiores e pode se manifestar apenas em uma, como acontece na maioria das vezes, ou em ambas as pernas. É uma dor bastante chata, descrita por quem a sente como “um formigamento pulsante que irradia até o pé”.

Fonte

0 comentários: