Deslocamento da coluna vertebral







Ela atinge 3% da população brasileira, pode ser operada sem a necessidade de internação, mas, se não for tratada adequadamente, é capaz de levar à morte.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aproximadamente 5,4 milhões de pessoas sofrem de hérnia de disco no Brasil. Mas o que realmente é essa doença?

"A palavra hérnia significa deslocamento de algo para fora de seu lugar. Na hérnia de disco, o que ocorre é um deslocamento do núcleo. Isso pode ser comparado ao que acontece quando a capa de uma almofada se rasga e parte da espuma do recheio sai. Geralmente o fragmento de núcleo que escapa de dentro do disco comprime uma das raízes do nervo ciático, provocando dor forte em uma das pernas, o sintoma conhecido como dor ciática", explica o médico Pablo Miguel.

Segundo o especialista, a hérnia é resultado de um desgaste do disco. E esse desgaste está relacionado a vários fatores, como estrutura genética do indivíduo, atividade física, peso e tipo de trabalho. "Não existe hérnia causada apenas por um fator isolado, mesmo nos casos em que a doença se manifesta depois de um acidente ou esforço. Costumam existir outros fatores a que contribuíram anteriormente para o problema", esclarece.

Para Fernanda Motta, 42 anos, não tem coisa pior que sentir a dor ciática. "Eu descobri que tinha hérnia de disco quando meu marido chegou em casa, e eu estava toda torta no chão sem conseguir me levantar. Procurei um médico e foi diagnosticada a doença. O que passou a minha dor foi anestésico cirúrgico", conta.

Com Catarina Fontana, a situação foi diferente. "Sempre achei que hérnia de disco era algo terrível que me obrigaria a viver com uma dor insuportável. Mas nosso corpo se adapta rapidinho ao incômodo e a dor constante, que chega uma hora que você nem percebe mais. Eu não sou fã de remédios e prefiro sempre confiar no meu corpo, mas às vezes é preciso uma ajudinha", afirma.

Ciático é o nome do principal nervo do membro inferior. Esse nervo forma-se da união de várias raízes nervosas que saem da coluna. "Ele começa mais ou menos na altura da nádega e se distribui por todo o membro inferior. A dor provocada por problemas no nervo ou nas raízes nervosas da região lombar, que são as que formam o nervo, é conhecida como dor ciática ou ciatalgia", afirma Miguel.

Tratamento

Na maioria dos casos o tratamento é conservador, não cirúrgico, consistindo de fisioterapia e medicação para a dor e inflamação do nervo, seguidos de programas de exercícios. "A cirurgia é reservada para os casos em que o tratamento conservador não surte o efeito desejado ou em que o nervo está muito lesado", diz o médico.

Hoje em dia existem vários tipos de cirurgia, desde os tratamentos percutâneos, sem cortes e sem hospitalização, até as cirurgias maiores, com fixação da coluna e colocação de implantes metálicos (artrodeses).

Recentemente surgiram as técnicas de artroplastia, em que o disco é reconstruído com próteses que mantém a movimentação normal da coluna. "A indicação do tipo específico de cirurgia dependerá do caso de cada paciente, sendo julgados vários fatores para se tomar essa decisão", explica Miguel.

O procedimento cirúrgico mais comum é a microcirurgia para hérnia discal, em que é feita apenas a retirada da hérnia através de uma pequena incisão nas costas, usando-se o microscópio cirúrgico. "Nos últimos tempos temos substituído o microscópio pela aparelhagem de vídeo, realizando a microcirurgia vídeo-endoscópica, que permite o uso de incisões ainda menores e recuperação pós-operatória mais rápida", afirma o especialista.

Para Fernanda, o pior da cirurgia é o pós-operatório. "Eu sofri muito no início. Até hoje tenho que ter muito cuidado. Não posso fazer exercícios físicos. Mas as dores passaram", comemora.

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: