Curta e Siga


Saiba tudo sobre a Hérnia de disco lombar






A coluna vertebral é formada por estruturas ósseas e ligamentos arranjados de maneira a permitir movimentos, suportar cargas e proteger a medula espinhal e raízes nervosas. O disco intervertebral-estrutura macia que se localiza entre as vértebras, funcionando como amortecedor- é parte importante da coluna vertebral e tem como principal função absorver cargas.

A hérnia de disco lombar é o deslocamento de parte do disco intervertebral, causado na maioria das vezes pelo desgaste da coluna. Dependendo do grau de deslocamento, a hérnia de disco pode comprimir uma raiz nervosa e provocar dor.

Hérnia de disco lombar causa dor nas costas?

Existem várias causas de dor lombar, como as contraturas musculares, disfunções dos ligamentos ou articulações. Apenas 1% dos pacientes com dor lombar, também conhecida como lombalgia, apresenta hérnia de disco. Geralmente, a hérnia de disco lombar, quando sintomática, causa dor irradiada para a perna devido à compressão de uma raiz nervosa.

O que causa a hérnia de disco?

Vários fatores podem colaborar para o desgaste precoce do disco intervertebral e a formação de hérnia discal. A obesidade, a postura incorreta-modo de caminhar, sentar e dormir-. Sedentarismo e a atividade física inadequada-falta ou excesso-são as principais causas.


Quais os Sintomas de hérnia de disco lombar?

A hérnia disco lombar podem ter como sintomas:

Dor nas costas no final da coluna, que pode irradiar para o glúteo ou pernas;
Pode haver dificuldade para movimentar-se;
Pode haver dormência, queimação ou formigamento nas costas, nádegas ou pernas.

A dor pode ser constante ou piorar ao realizar movimentos.

O diagnóstico da hérnia de disco lombar pode ser feito com base nos sintomas apresentados e em exames como ressonância magnética ou tomografia computadorizada, solicitados pelo médico ortopedista ou neurocirurgião especialista em coluna.

As causas da hérnia de disco lombar podem estar relacionadas com alterações estruturais da coluna ou devido a acidentes, má postura ou levantamento de peso, por exemplo. O mais comum é o surgimento em pessoas entre 37 a 55 anos de idade, principalmente em pessoas que tem a musculatura abdominal muito fraca e está com excesso de peso.
Quais são os exames necessários para o diagnóstico?

O principal exame para o diagnóstico da hérnia de disco é o exame físico, que deve ser realizado pelo neurologista ou neurocirurgião. A partir das características da dor e do exame físico, o médico especialista irá solicitar o exame mais adequado.

Atualmente, os exames mais comuns para o diagnóstico de hérnia discal são a tomografia computadorizada e a ressonância magnética da coluna lombar.

O tratamento para hérnia de disco é sempre cirúrgico?

Não. Aproximadamente 90% dos pacientes com hérnia discal lombar melhoram com tratamento conservador, ou seja, com medicamentos, repouso e fisioterapia. A cirurgia para a hérnia discal está reservada para os casos em que não haja melhora dos sintomas ou em casos extremos em que exista perda da força muscular.

Quais são as cirurgias existentes?

Existem várias técnicas cirúrgicas para o tratamento da hérnia de disco lombar. Os chamados “procedimentos minimamente invasivos” têm como objetivo reduzir a compressão sobre a raiz nervosa, utilizando substâncias químicas-papaína, calor ou radiofrequência. Embora sejam procedimentos “mais simples”, não estão isentos de complicações, e as indicações são restritas. A cirurgia endoscópica é outra opção, mas tem custo elevado e apresenta limitações técnicas.

A cirurgia convencional, chamada discectomia lombar-retirada de disco-, associada ao uso da microscopia, possibilita uma excelente descompressão das estruturas neurais, com riscos reduzidos e apresentam comprovadamente-dentre todos os métodos invasivos-os melhores resultados.

Como é a Fisioterapia para a Hérnia de Disco Lombar?

fisioterapia ajuda a aliviar os sintomas causados pela doença e a recuperar os movimentos. Ela pode ser realizada diariamente, ou no mínimo 3 vezes por semana, no caso de dor aguda.

Podem ser utilizados aparelhos para controlar a dor e a inflamação e exercícios para fortalecer os músculos das costas e da região abdominal, indicados pelo fisioterapeuta. Além disso, pode-se recorrer à osteopatia, 1 vez por semana, com um fisioterapeuta especializado ou osteopata.

Dependendo do estado de saúde do paciente pode-se realizar alguns exercícios de Pilates e de reeducação postural global - RPG, sob supervisão, mas os exercícios de musculação são contraindicados, na maior parte dos casos, pelo menos, durante a dor aguda. Os exercícios de musculação geralmente só podem ser realizados quando não há nenhum sintoma, mas sob orientação médica e com supervisão do professor da academia.
Publicado em 26/07/13 e revisado em 22/02/19



Dicas para Profissionais:
  • Programa de Certificação Completa Excelência em Coluna
  • Curso - Aprenda a tratar Lombalgias
  • Curso - Aprenda a tratar Cervicalgias com Terapia Manual

  • Nos Siga nas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Youtube . Adicione no grupo do Whatsapp

    Deixe seu comentário e nos marque(@Sua Saúde) pra gente ver:

    Nenhum comentário