Agachamento x Hérnia de Disco: os limites da coluna vertebral









Agachar é uma ação natural do ser humano, e no decorrer do tempo, realizar o movimento constantemente pode ocasionar sérios danos à coluna vertebral.

A coluna é composta por vértebras, discos intervertebrais, nervos, músculos, medula e ligamentos. É nesse conjunto que acontece a maior parte das disfunções que causam dores nas costas. Porém, se dores na coluna não são tratadas de forma correta, podem se acentuar e evoluir para doenças mais graves, como a hérnia de disco, cujo estágio inicial está presente em quase 65% da população adulta brasileira, entre 25 e 50 anos de idade.

As vértebras da coluna estão unidas por articulações chamadas de discos intervertebrais, que são constituídos de material fibroso e gelatinoso, e desempenham a função semelhante a um amortecedor, proporcionando mobilidade para locomoção e movimentos de impacto. A hérnia de disco ocorre quando parte do disco (em geral os das vértebras cervical, dorsal ou lombar) se desloca para trás ou para o lado da coluna, comprimindo o nervo e causando dores. Segundo o fisioterapeuta e quiropraxista Gustavo Pilon (http://gustavopilon.com/), as dores são causadas por essa compreensão neural e não pela hérnia de disco em si. “Nenhuma hérnia de disco dói. A hérnia apenas vai doer, se o nervo for comprimido. Em qualquer estágio, se a hérnia não ‘apertar’ o nervo não haverá dor. A dor é um mecanismo de defesa”, explica o especialista, acrescentando que “destravando a coluna, liberando o nervo e flexibilizando novamente os músculos é possível em um prazo de duas a três semanas, dependendo de cada indivíduo, um tratamento eficaz para essas dores”.

No entanto, exercícios físicos podem minimizar as dores ocasionadas pela hérnia de disco, além de prevenir protrusões futuras, melhorar a nutrição do disco intervertebral, aumentar a difusão passiva de oxigênio e diminuir a concentração de hidrogênio.

Na musculação, os exercícios são efetivos e benéficos para o tratamento da hérnia de disco, já que possibilitam ao paciente trabalhar flexibilidade e força, fatores fundamentais para um retorno natural ao cotidiano, principalmente ao trabalho. Porém, de acordo com Gustavo, “o grande problema é quando a pessoa começa um exercício sem orientação, como o agachamento, aumentando uma carga na coluna e no joelho sem estar preparada para isso”.

Agachamento X Hérnia de Disco

O agachamento pode ser considerado um dos exercícios mais completos e complexos que existem, já que envolve diversos músculos, articulações e tendões. Por isso, pode ser um exercício contraindicado para pessoas com lesões mais graves na coluna, especialmente pessoas que estão na fase aguda de uma hérnia de disco. Para esse exercício ser realizado, é importante descobrir o limite do corpo de cada paciente. Segundo Gustavo, o exercício de agachamento requer cuidados e orientação profissional para não agravar o quadro da doença. “No agachamento, o principal cuidado é com o joelho e a lombar do paciente. É necessário não deixar o joelho ultrapassar a ponta do pé e a lombar fazer uma hiperlordose, aumentar a acentuação na sobrecarga posterior”, explica. Para ele, o ideal é evitar cargas elevadas e não realizá-lo com dor, em hipótese alguma.

As lesões normalmente são causadas pela má execução do movimento. Primeiramente, para uma boa execução do exercício é necessária uma carga que o praticante suporte e não sobrecarregue suas costas. Além disso, o espaço entre as pernas deve ser respeitado. Uma boa distância entre elas, afeta menos os quadríceps. Vale ressaltar que o melhor lugar para posicionar a barra é em cima do trapézio. O exercício pode não ser o mais indicado para as pessoas já diagnosticadas com hérnia de disco, porém ajuda a prevenir a doença por fortalecer a densidade óssea da lombar e sacro.

Os principais músculos que devem ser trabalhados para estabilizar a coluna e diminuir o risco de novas crises e novas hérnias são os multífidos, eretores da espinha e transverso do abdome. Para pessoas que possuem hérnia de disco é importante realizar atividades físicas de baixo impacto, como alongamento e fortalecimento da musculatura, tanto abdominal, quanto posterior da coluna. Essas atividades estabilizam a coluna, reduzindo a força para frente ou para trás da mesma. O ideal é dar prioridade para exercícios onde a posição é deitada ou em pé, como esteiras com velocidade lenta, exercícios localizados com pouco peso e alongamentos. Um indivíduo com uma ou mais hérnias de disco pode ter uma rotina normal de treinos, desde que haja uma atenção especial à região afetada.

Segundo Gustavo, se o paciente realizar um tratamento manipulativo para restaurar a mecânica da hérnia, destravar o bloqueio articular em cada articulação da coluna, diminuir a tensão muscular e introduzir exercícios funcionais para coluna lombar, a hérnia de disco não será um problema na vida desse indivíduo. “Para um trabalho de reabilitação com qualidade, eficiência e segurança é necessário procurar um profissional capacitado e qualificado para assegurar um corpo saudável”, finaliza.

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: