Pilates x Hérnia de disco










Quem sofre de hérnia de disco não precisa parar de praticar regularmente exercícios físicos, mas deve tomar alguns cuidados. Não precisa deixar de praticar atividade física, mas é necessário que a pessoa tome precauções para alguns exercícios de impacto e que fazem rotação com inclinação da coluna. Em uma fase aguda, exercícios com sobrecarga devem ser evitados.

O Pilates é conhecido por ajudar a amenizar dores nos braços, pernas, formigamento dos pés ou mãos, sensação de dormência, diminuição da força e atrofia da musculatura, pois a prática ajuda a fortalecer, equilibrar e alongar a coluna vertebral. Essa modalidade também é indicada para quem tem hérnia de disco. O Pilates é um estabilizador da musculatura abdominal e da coluna, então ele promove melhor equilíbrio muscular e, consequentemente, menor sobrecarga para a articulação da coluna.

A técnica é bastante eficaz no tratamento da hérnia de disco, tanto a curto quanto a longo prazo, pois melhora os sintomas do paciente, evitando a reincidência da doença. O Pilates é baseado em seis princípios: respiração, centro de força, concentração, controle, precisão e fluidez.

Para quem sofre desse problema, as aulas de Pilates seguem o princípio básico do método: contração dos músculos abdominais associado à respiração, que proporcionam estabilização da coluna lombar e diminuição da dor. As aulas são individuais, então conseguimos trabalhar mais a reabilitação, focando na parte da coluna e dos alongamentos. Em uma fase aguda da hérnia de disco, passamos exercícios mais leves e conforme conseguimos fortalecer a musculatura aos poucos, aumentamos a intensidade dos exercícios.

O Pilates, que tem crescido cada vez mais no Brasil, além de ser utilizado para melhorar o condicionamento físico, tem fins terapêuticos.

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários: